#notícias


The Weeknd consolida seu lugar no 1º time do pop com 'Starboy'; G1 ouviu

Disco repete fórmula de R&B sexy e sombrio, com hits certos para o Lolla. Boa lista de convidados tem Daft Punk, Lana Del Rey e Kendrick Lamar.

 

The Weeknd no clipe de 'Starboy' (Foto: Divulgação)The Weeknd passou a tesoura nos marcantes dreads ao lançar o terceiro disco. O cabelo mudou, mas no som... quanta semelhança com o segundo disco, 'Beauty behind the madness' (Foto: Divulgação)

"Starboy", terceiro disco do The Weeknd, é previsível - para o bem e para o mal. O cantor canadense, uma dos destaques próximo Lollapalooza SP, passa 17 faixas sem fazer muito além do que se espera dele. Pelo menos o que se espera é um pop de primeira: R&B sexy e sombrio, com vocal impecável, de sussurros a gritos agudos. Letras sobre sexo, drogas e vida luxuosa também não mudaram.

Não dá para reclamar muito de um disco cuja principal falha é tentar ter hits demais. "Starboy", se fosse um candidato a emprego, seria do tipo que diz "meu maior defeito é ser muito perfeccionista". E não estaria mentindo. Participações de Daft Punk, Lana Del Rey e Kendrick Lamar deixam o jogo ganho. Nem precisava chamar o midas pop sueco Max Martin (Britney Spears, Maroon 5) para aparar as arestas de um som já tão redondo.

Se faltam surpresas, sobram canções tensas e marcantes para garantir que The Weeknd - surgido como figura enigmática há alguns anos e alçado à fama com "Beauty behind the madness", em 2015 - se consolide no primeiro time do pop atual.

Recorde de streaming
O próprio sucesso é tema recorrente. "Acabei de ganhar um prêmio de um programa infantil / Falando sobre o rosto anestesiado por um saco de pó", canta no R&B sussurrado "Reminder". O assunto é o hit "I can´t feel my face", que fala indiretamente sobre cocaína e, mesmo assim, foi sucesso onipresente, indicado até ao Kids Choice Awards.

Metade das faixas de "Starboy" ganharam no Spotify o adesivo de "explícito", graças a versos como "When it touched my mouth / You were more than a fuck" - melhor não traduzir - da faixa minimalista de refrão matador "Attention". O aviso não afastou ouvintes. O serviço de streaming anunciou que o disco bateu o recorde de audição em um único dia que era de Justin Bieber- o número não foi divulgado.

Capa de 'Starboy', do The Weeknd com Daft Punk (Foto: Divulgação)Capa de 'Starboy', do The Weeknd com Daft Punk
(Foto: Divulgação)

Anti-anti
"Starboy" vai no caminho oposto de outro queridinho do R&B que lançou um aguardado disco em 2016. Enquanto Frank Ocean aproveitou os holofotes para fazer um disco nada convencional, lento e climático, The Weeknd não saiu do molde. Não é por acaso que sete das dez músicas mais tocadas em streaming nos EUA hoje sejam do canadense.

Se 2016 é o ano de arriscar, vide "Lemonade" da Beyoncé e "Anti" da Rihanna, a ousadia aqui é agradar mais ao ouvinte comum que a crítica. Até quando varia referências, elas são radiofônicas. "Secrets" é new wave com sample de "Pale Shelter", do Tears for Fears. Já "A lonely night" exagera na imitação de Michael Jackson.

Bons companheiros
A lista de convidados merece aplausos. Lana Del Rey é a cara das personagens que The Weeknd sempre canta: musas cínicas, de coração gelado. E vice-versa, já que ele também encarna o homem poderoso e arisco que ela idolatra. A união perfeita é celebrada no hip hop "Party monster" e na vinheta "Stargirl interlude" - até o interlúdio de menos de dois minutos merece tocar no rádio.

O Daft Punk dá a cara dos "ha ha has" robóticos de "Starboy" e do house oitentista de "I feel it coming", que parece uma versão mais calma de "One more time". Entre inúmeros produtores em alta no pop eletrônico, como Max Martin, vale destacar um veterano:  Peter Svensson, guitarrista dos Cardigans. Os refrões mais fáceis aqui passam por ele: "Rockin'" e "Love to lay". Perdem um pouco a assinatura de The Weeknd, mas são irresistíveis mesmo assim.

The Weeknd canta a canção indicada 'Earned it' no Oscar 2016 (Foto: REUTERS/Mario Anzuoni)The Weeknd canta a canção indicada 'Earned it' no Oscar 2016 (Foto: REUTERS/Mario Anzuoni)
Fonte; g1
The Weeknd no clipe de 'Starboy' (Foto: Divulgação)The Weeknd passou a tesoura nos marcantes dreads ao lançar o terceiro disco. O cabelo mudou, mas no som... quanta semelhança com o segundo disco, 'Beauty behind the madness' (Foto: Divulgação)

"Starboy", terceiro disco do The Weeknd, é previsível - para o bem e para o mal. O cantor canadense, uma dos destaques próximo Lollapalooza SP, passa 17 faixas sem fazer muito além do que se espera dele. Pelo menos o que se espera é um pop de primeira: R&B sexy e sombrio, com vocal impecável, de sussurros a gritos agudos. Letras sobre sexo, drogas e vida luxuosa também não mudaram.